Professor Bruno Marques
Compartilhe

O concurso para Aluno Soldado da Polícia Militar da Bahia (PM/BA) e do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBM/BA) foi retomado no dia 19/05/2020, com a publicação de um novo cronograma do concurso e o resultado da prova objetiva, Banca IBFC.

Como o próximo resultado é o da prova discursiva veja:

DICAS PARA ELABORAR RECURSO CONTRA O RESULTADO DA PROVA DISCURSIVA DA PM/BA E CBM/BA – IBFC

Então, se você não foi tão bem quanto esperava e quer tentar melhorar um pouco a sua nota na prova discursiva do concurso da PM/BA e CBM/BA, banca IBFC, e, consequentemente, a classificação, vou dar algumas dicas de como elaborar o recurso contra o resultado da prova discursiva.

Conforme o Edital de retomada do concurso da PM/BA e CBM/BA, as próximas etapas são, respectivamente, o recurso contra o resultado da prova objetiva e o recurso contra o resultado da prova discursiva.

O Edital PM/BA e CMB/PA prevê a avaliação psicológica, exames médicos-odontológicos, teste de aptidão física, exame de documentação e investigação social somente após a publicação do resultado final do concurso e a sua homologação.

Assim, antes da homologação a única oportunidade de ganhar posições é com o recurso da discursiva.

Nesse há uma maior possibilidade de ganhar posições, uma vez que a majoração é atribuída individualmente a quem recorreu.

Dessa forma, o candidato que conseguir majorar a nota da prova discursiva, terá uma vantagem na frente dos demais candidatos.

Todavia, para recorrer é preciso:

  1. Entender os critérios de correção da Banca IBFC;
  2. Aprender as técnicas básicas para interposição do recurso da discursiva.

1- OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO DA BANCA IBFC

Como você bem sabe, o Edital PM/BA e CBM/BA previa 3 (três) temas relacionados a assuntos diversos de atualidades.

Caberia ao candidato escolher um deles e redigir um texto dissertativo de no mínimo 20 e no máximo 30 linhas.

Apesar da opção de escolha, nenhum dos temas era simples, motivo pelo qual muitos candidatos tiveram dificuldades em eleger o tema de sua preferência.

Além disso, a banca IBFC divulgou apenas um texto motivador para cada um dos temas, deixando a cargo do candidato a criação dos tópicos para defesa do tema.

Então, se você acha que não foi tão bem como gostaria, não se preocupe.

Não foi uma prova muito fácil mesmo…

Os temas da prova discursiva eram:

Tema 1: O excesso de imagens e sua relação com a realidade.

Tema 2: A importância da arte na sociedade contemporânea

Tema 3: O cuidado com o corpo e com a mente e sua relação com o trabalho

Qual TEMA de prova você escolheu? Deixa nos comentários….

Realmente a banca IBFC não quis facilitar a sua vida.

Veja que ela optou por NÃO inserir os tópicos da redação, mas tão somente o texto motivador e o tema.

Essa é uma tendência da Banca IBFC, com vistas a avaliar a capacidade do candidato em criar os tópicos para defender o ponto de vista.

Inclusive, essa capacidade de criar tópicos relevantes e originais e inter-relacioná-lo com o tema aborda dois dos critérios avaliativos da Banca IBFC: os Itens 1 e 2.

Veja o Espelho que é utilizado pela Banca IBFC para corrigir a sua prova:

Dicas de recurso da discursiva para os Itens 1, 2, 3 e 4

Sendo assim, para garantir os 20 pontos no Item 1 e 20 pontos no Item 2, era preciso que todos os argumentos centrais dos parágrafos de desenvolvimento estivessem relacionados com o tema.

Assim, ao elaborar o recurso da discursiva, você precisa demonstrar que há uma relação clara entre o tema e os tópicos.

Para que entenda melhor o que quero dizer com relacionar o tópico e o tema, é preciso abordar um pouco de teoria textual.

O texto dissertativo possui uma estrutura formal e uma estrutura argumentativa.

A estrutura formal prevê que o texto seja dividido em introdução, desenvolvimento e conclusão (ou considerações finais), conforme será avaliado no Item 3 do espelho de correção (20 pontos).

Já a estrutura argumentativa está relacionada aos seus argumentos, isto é, às informações que você inseriu no texto.

É composta por tema, tese (ponto de vista) e tópicos (argumentos).

De forma bem geral, a estrutura formal e a argumentativa se complementam assim:

INTRODUÇÃO: apresenta o tema e a sua opinião sobre ele.

DESENVOLVIMENTO: utiliza os parágrafos para defender apresentar os tópicos, que visam a defender a sua opinião. (Então, cada parágrafo de desenvolvimento deve possuir um tópico.)

CONCLUSÃO: apenas retoma o seu ponto de vista e apresenta uma solução para o tema, caso seja necessário.

Agora, você deve estar se perguntando: Bruno, e como faz para ganhar pontos no Item 4?

Pois bem, no Item 4, a Banca IBFC vai avaliar a coesão e a coerência.

Em coesão, os examinadores observarão se houve o uso adequado de conectivos entre os parágrafos e os períodos do seu texto.

Já em coerência, avaliarão se os seus argumentos não são contraditórios.

Por exemplo, um argumento contraditório seria: você defende a paz mundial, mas propõe matar todos aqueles que não são brasileiros.

Então, para recorrer do Item 4, deve levantar no texto exemplos de elementos coesivos e de argumentos coerentes, a fim de comprovar que cumpriu com os critérios exigidos.

Dicas de recurso da discursiva para os Itens 5 e 6

Já os Itens  5 e 6 estão relacionados aos aspectos gramaticais.

Os erros de morfossintaxe valem 14 pontos e os de acentuação e ortografia, 10 pontos.

Já adianto que a banca IBFC não costuma ser muito criteriosa na correção gramatical, então, se não cometer nenhum erro grave, é possível que nem perca pontos.

Por outro lado, caso tenha perdido pontos nesses itens, não será fácil de recorrer, afinal, para ganhar o recurso da discursiva, terá que demonstrar que o erro apontado não é, de fato, um erro.

Para tal, basta indicar corretamente a linha do erro que quer questionar e apresentar as justificativas, utilizando sempre as regras da norma padrão da Língua Portuguesa.

Ademais, uma boa estratégia é reescrever o trecho que deverá ser analisado para facilitar a vida do examinador.

TÉCNICAS BÁSICAS PARA INTERPOSIÇÃO DO RECURSO DA DISCURSIVA

No dia 05/06/2020, a banca IBFC irá divulgar o resultado final da objetiva e o preliminar para a discursiva.

Marque essa data na sua agenda: AGORA!

Após a liberação desse resultado, ela concederá apenas dois dias para você elaborar o recurso da discursiva: 08 e 09/06/2020.

Trabalho há mais de 8 anos com a elaboração de recursos de discursiva e já vi muitas correções erradas.

Algumas em benefício do candidato, mas várias em prejuízo dele.

Não são raras as vezes em que a Banca IBFC concede uma nota ruim para o candidato, ele recorre, e a nota dele aumenta significativamente.

Se entrar na nossa página de recursos, verá a quantidade de candidatos que haviam sido prejudicados, mas graças ao nosso serviço de recurso da discursiva conseguiram ganhar pontos e garantiram a tão merecida aprovação.

Então, não menospreze a fase de recurso da discursiva.

Para lhe ajudar, separei as principais informações e dicas para elaborar um bom recurso da discursiva.

1º) Como fazer um recurso individualizado

O recurso individualizado é aquele único, sem qualquer similaridade com outros recursos.

Para isso, é necessário fazer referências diretas ao seu texto.

Essas referências podem ser citação de trechos do texto ou indicações de linhas.

Para ficar mais fácil de entender, vou mostrar um exemplo do que você NÃO deve fazer:

 Halliday e Hasan (1976) dizem que a coesão tem a ver com o modo como o texto está estruturado semanticamente. É, portanto, um conceito semântico que se refere às relações de significado que existem dentro do texto e fazem dele um texto e não uma sequência aleatória de frase. A coesão é a relação semântica entre dois elementos do texto, de modo que um deles tem de ser interpretado por referência ao outro, pressupondo-o.

Widdowson (1978) diz que a coesão “é o modo pelo qual as frases ou partes delas se combinam para assegurar um desenvolvimento proposicional…” O texto em análise é coeso e se constrói com elementos de ligação são pronomes, verbos, advérbios, conectores coesivos (termos e expressões); e sem sequenciadores, sendo o lugar do conector marcado por sinais de pontuação (vírgula, ponto, dois-pontos, ponto-e-vírgula).

Segundo Koch e Travaglia (1989:13), a coesão é explicitamente apresentada através de elementos linguísticos, indicações na estrutura superficial do texto, sendo de caráter claro e direto, expressando-se na organização sucessiva do texto. Halliday e Hasan (1976 apud Koch & Travaglia, 1989:13)

A explicitação deste ponto citado acima encontra-se em todo o texto.

Muitos candidatos vão achar que esse recurso da discursiva está excelente, pois conta com bastante embasamento teórico.

Todavia, este é um grande equívoco.

Recursos assim não comprovam nada para o examinador.

Em primeiro lugar, parece mais uma aula de coesão e o examinador não precisa que você ensine a ele o que é “coesão textual”.

Em segundo lugar, porque se trata de um recurso genérico e cansativo.

Além de não fazer referência em nenhum momento ao texto do candidato, é muito chato de ler.

O examinador vai dormir antes mesmo de chegar no terceiro parágrafo.

Em alguns casos, recursos assim são indeferidos preliminarmente, sem sequer passar pelas mãos do examinador.

Então, utilize referências do seu texto e mostre para ele em quais linhas você atendeu ao critério exigido no espelho de correção.

 2º) O recurso deve ser tempestivo

 As bancas examinadoras são bem rigorosas com o prazo de interposição do recurso da discursiva.

Após a divulgação do resultado com a nota da prova discursiva, o candidato possui poucos dias para elaborar o recurso da discursiva.

Inclusive, é imprescindível conhecer bem o prazo e o horário máximo para interposição. Algumas bancas definem às 16h, outras às 18h e, por fim, há algumas que definem até as 23h59. (Se não houver divulgada uma previsão de horário para entrega, deve-se considerar às 23h59 do último dia útil).

Como o prazo é curto, não dá para deixar para última hora, pois qualquer imprevisto pode minguar com as suas chances de recorrer e melhorar a pontuação na prova.

Então, fique atendo à regra do Edital PM/BA e CBM/BA.

3º) No recurso da discursiva não deve constar nenhuma forma de identificação do aluno

Ao elaborar o recurso da discursiva, muitos candidatos tem a mania de inserir seus nomes: “ Eu, Fulano de tal, gostaria de recorrer do resultado…”.

Se você fizer isso, terá seu recurso da discursiva indeferido antes de chegar na mão do examinador.

Então, nada de se identificar, ok?

Todavia, não há problema em citar a nota que tirou em determinado critério.

Afinal, o objetivo do recurso da discursiva é contestar a nota atribuída.

4º) O recurso deve ser claro e objetivo

Esse é o grande desafio do recurso da discursiva.

O candidato deve ir direto ao ponto e explicar para o examinador o motivo para majoração da nota, sem fazer muitos rodeios.

Os argumentos, no entanto, devem ser claros.

Por isso, utilizar uma linguagem simples, técnicas de enumerações e divisão em tópicos ajudam muito.

Antes de enviar seu recurso da discursiva, pergunte a você mesmo: Se eu tivesse 100 recursos para ler, leria o meu?

Se achar que o seu recurso da discursiva está cansativo, melhore o texto.

Coloque-se sempre no lugar do examinador.

5º) Atenção à linguagem utilizada

A linguagem é muito importante. Trata-se de um texto de natureza individual.

Logo, o recurso da discursiva pode ser escrito de forma impessoal ou na 1ª pessoa no singular (Eu).

Por isso, cuidado! Escrever o recurso da discursiva na 1ª pessoa no plural (Nós), não cai bem, ok?

6º) Devo contratar um especialista para fazer o meu recurso?

Como se trata de uma fase importante, é comum que os candidatos procurem professores que possuam experiência na elaboração de recursos.

E isso é uma ótima opção, caso tenha recursos financeiros disponíveis ou possua grandes chances de ser convocado no concurso.

Em primeiro lugar, porque o professor tem acesso a várias provas do seu concurso, logo, poderá fazer uma análise mais profunda e entender como a Banca IBFC está corrigindo as provas.

Em segundo lugar, porque o especialista tem prática nesse tipo de serviço e sabe como e quais os pontos que devem ser contestados.

Inclusive, possuem modelos de recursos que já deram certo e isso pode fazer toda a diferença.

Por fim, na elaboração de recursos acerca dos aspectos gramaticais, é necessário um conhecimento mais aprofundado da língua portuguesa.

Porém, cuidado na hora de contratar um especialista!

O recurso contra o resultado da prova discursiva deve ser sempre individualizado. Recursos iguais ou semelhantes serão preliminarmente indeferidos. Isto é, se seu recurso da discursiva for muito genérico ou igual ao de outro candidato, a Banca IBFC nem vai ler. Possivelmente, vai indeferi-lo antes de encaminhá-lo ao examinador.

Já vi casos em que um professor redigiu o mesmo recurso da discursiva (genérico) para diversos alunos e entregou-os faltando apenas 1 hora para o encerramento do prazo de interposição do recurso da discursiva.

Resultado: não havia mais tempo para os alunos refazerem seus próprios recursos, tiveram os recursos indeferidos, gastaram dinheiro e ainda perderam a chance de melhorarem suas classificações no concurso!

Portanto, fique sempre atento ao histórico do professor caso venha a contratar um serviço de recurso da discursiva, ok?

Por fim, reforço meu conselho de jamais desistir do seu foco, mesmo quando, às vezes, o percurso não seja da forma que imaginamos.

Bom, espero ter facilitado a sua vida! A equipe do Você Concursado e eu estaremos à disposição para lhe ajudar nesta fase.

Se precisar de recurso, clique no link abaixo!

 

 


Compartilhe
2 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *