Professor Bruno Marque e Professor Luiz

Como você bem sabe, a FCC não deixa sair da sala com o Caderno de Questões. Segundo o edital, o caderno será liberado junto com o gabarito preliminar no dia 21/11 (terça-feira).

Porém, consegui analisar a prova discursiva para o Cargo de Técnico Judiciário e acabar com um pouco da sua ansiedade. Logo, esse artigo tem o objetivo de te dar um norte, para que avalie se foi bem ou mal na prova discursiva. Ok?

Vamos ao enunciado:

TST/2017 – Técnico Judiciário – Área Administrativa

Enunciado (não oficial)

Dadas as múltiplas possibilidades de compartilhamento informacional entre diferentes pessoas, oriundas de diferentes culturas e conhecedoras de diferentes áreas do saber, muito se fala sobre a formação de uma inteligência coletiva na rede. Entretanto, se o mundo virtual serve como mecanismo privilegiado de projeção do ser humano, tal qual um espelho, ele também virtualmente reflete os aspectos pouco promissores da realidade palpável.

Com base no excerto acima, escreva uma dissertação-argumentativa, expondo amplamente o seu ponto de vista.

Realmente a FCC não facilitou a sua vida. Veja que ela optou por não inserir o tema da redação, mas tão somente o texto motivador. Essa é uma tendência da Banca, com vistas a avaliar a capacidade do candidato de encontrar o tema da redação.

Destaco, primeiramente, que o texto motivador foi retirado de um artigo de revista da Fundação Getúlio Vargas. Se quiser baixar o arquivo completo, basta acessar o link abaixo:

Artigo que inspirou a Prova Discursiva de Técnico-Adm-TST

Talvez você se assuste ao ler o tema: “Discurso de ódio em redes sociais”. Provavelmente não falou sobre isso na sua prova, certo? Porém, não se preocupe! Entenda que o trecho retirado para a sua prova nada mais é do que um dos pontos levantados pelo autor do artigo para defender àquele tema.

No entanto, a Banca pede para que você monte um texto dissertativo-argumentativo, tomando como base o TEXTO MOTIVADOR e não o ARTIGO do qual ele foi retirado. Deste modo, analisando apenas o texto motivador, é possível extrair outros temas para a sua prova discursiva.

O enunciado fala das vantagens do mundo virtual (internet):

“múltiplas possibilidades de compartilhamento informacional entre diferentes pessoas, oriundas de diferentes culturas e conhecedoras de diferentes áreas do saber.”

Depois, dá ênfase ao conhecimento gerado e compartilhado, que formam a “inteligência coletiva na rede.”

Até aqui, o texto motivador só falou dos pontos positivos da internet/inteligência coletiva na rede.

Mais adiante usou a conjunção “Entretanto” (que tem função adversativa) para introduzir uma reflexão, com viés negativo. O autor começa defendendo que o mundo virtual nada mais é do que o próprio ser humano (sociedade). Veja:

o mundo virtual serve como mecanismo privilegiado de projeção do ser humano, tal qual um espelho

E que, devido a isso, o mundo virtual, a internet ou a inteligência coletiva na rede também possuem aspectos negativos, assim como o homem. E mais, que esses aspectos interferem na sociedade não virtual, a qual o autor chama de realidade palpável. In verbis:

“ele [mundo virtual] também virtualmente reflete os aspectos pouco promissores da realidade palpável.

Desta forma, depreende-se desse texto que os temas da prova discursiva podem ser:

– A interferência da realidade técnico- virtual-informacional no cotidiano. (tema proposto no artigo: https://voceconcursado.com.br/blog/super-bizu-para-prova-do-tst-prova-discursiva/)

– Os impacto negativos da inteligência coletiva (internet) na realidade social.

– Relação entre a sociedade contemporânea e a realidade virtual.

Um dos critérios avaliativos da FCC é a capacidade de análise e senso crítico. Apesar de se tratar de um tema relativamente simples, é muito fácil de se perder na hora de elaborar a prova. Por estar inserido no cotidiano da maioria da população, é muito difícil ir além do senso comum. Sendo assim acredito que este tenha sido o maior desafio dessa prova discursiva:

COMO ABORDAR O TEMA DA PROVA SEM CAIR NO SENSO COMUM?

Assim como o texto motivador, o candidato poderia apresentar pontos positivos e negativos da realidade virtual na sociedade contemporânea. Mas, poderia também fazer uma redação só com aspectos negativos. A única coisa que não podia fazer era falar apenas sobre as vantagens da internet.

Pois bem, vou citar vários argumentos que poderiam ser usados na sua redação para abordar o tema.

Vejam alguns argumentos positivos que poderiam ser usados:

1) A internet, sistematizada em meados da década de 1980, é um dos maiores inventos da revolução técnico-científico-informacional. Ela engendrou novas possibilidades de intercâmbio entre pessoas e lugares distantes, numa velocidade cada vez maior, aproximando-se da instantaneidade. Através da rede de computadores, novas ferramentas educacionais foram criadas, múltiplos meios de compra e venda on-line tornaram-se banais e proliferaram os espaços de debate e problematização sobre questões coletivas, como no caso das redes sociais.  Assim, a internet contribuiu decisivamente para a consolidação de uma verdadeira teia de relações virtuais que, apesar de imaterial, possui excepcional poder de influência sobre as dinâmicas sociais que se manifestam no âmbito da realidade objetiva (palpável).

 

2) O uso da internet, sobretudo das redes sociais, ampliou a capacidade de mobilização e organização coletiva, como já ficou evidente no decorrer dos últimos acontecimentos políticos no Brasil e no mundo. As manifestações populares ocorridas no Brasil após as eleições em 2014, em sua maioria, senão todas, foram capitaneadas por grupos que se reuniram, inicialmente, através da internet, presumivelmente contra a corrupção sistêmica do país. Em outra ocasião, os levantes da Primavera Árabe em 2011, que buscaram “derrubar” governos autoritários instalados em países do Oriente Médio e Norte da África, também foram organizados através das redes sociais na internet. Os atos públicos foram, inclusive, gravados ou transmitidos ao vivo, provocando a ira dos dirigentes locais. Esses episódios marcantes demonstram que a internet se converteu em ferramenta para canalização dos anseios das pessoas.

 

Todavia, obrigatoriamente você deve apresentar alguns argumentos negativos e relacioná-los às características do próprio ser humano. Poderiam ser usados, por exemplo, os seguintes pontos de vista:

 

1) Nessas redes de comunicação virtual, coexistem grupos e páginas dedicados a inúmeros temas, nos quais os usuários da tecnologia informacional podem interagir uns com os outros. Neste processo de troca, muitos deles buscam conectar-se com pessoas cujos valores e posicionamentos pessoais refletem sua própria “visão de mundo” (seus pares). Assim, na internet, tal como na realidade palpável, existem muitos “guetos” preenchidos com rupturas ou cisões profundas, prenhes de radicalismos provocados por ideologias (maneiras de pensar a realidade) contrárias. Nessa perspectiva, a mesma internet que congrega e mobiliza é utilizada, contraditoriamente, para manifestar os individualismos e os egoísmos das pessoas, que ignoram a diversidade do “Mundo concreto”.

 

2) É nesse contexto que emergem os discursos de ódio. Não raramente, o embate entre ideias nas redes sociais e noutros canais de comunicação on-line enviesa para o rumo do preconceito e da intolerância. O ódio é um instrumento de autoafirmação (negativo) e, ao mesmo tempo, de rejeição das particularidades e diferenças que existem no bojo da sociedade, praticado recorrentemente nas experiências cotidianas e, cada vez mais, nas experiências virtuais. O discurso de ódio atenta contra a dignidade humana e é passível de punição, juridicamente.

 

3) As redes sociais na internet são assoladas por diversos problemas e, dentre eles, os crimes virtuais. Como reúnem milhões de pessoas, essas redes atraem criminosos de toda espécie: estelionatários, que aplicam golpes em pessoas com as quais se relacionam à distância; hackers, que divulgam links e aplicativos maliciosos com o objetivo de “roubar” informações pessoais (principalmente financeiras); pedófilos, que repassam materiais pornográficos com imagens de crianças e assediam menores; e os inúmeros casos de calúnia, preconceito, divulgação de material confidencial (o que inclui os vídeos íntimos usados como “Vingança”), apologia ao crime, etc.

 

4) O terrorismo se caracteriza pela propagação do “terror” e, nesse sentido, a internet, pelo alcance máximo que possui, tornou-se bastante utilizada para divulgar atentados e provocar pânico. O Estado Islâmico, por exemplo, disponibilizou inúmeros vídeos nas redes sociais em que decapitava pessoas contrárias à fé muçulmana durante os ataques às cidades localizadas no Iraque e na Síria. Além das decapitações, mostraram a demolição de monumentos históricos (como no caso da cidade de Palmira) e divulgaram mensagens de ódio com ameaças aos países ocidentais. Enfim, percebe-se que as interações estabelecidas na internet nem sempre são positivas. O aparato relacional que a internet criou está repleto das intencionalidades (das personalidades) que as pessoas trazem consigo das experiências “reais”. São as pessoas “reais” que produzem os conteúdos disponíveis nas redes de comunicação virtual e, por isso, muitas vezes, surgem conflitos e problemas.

 

Bom, esses são alguns dos argumentos que poderiam ser usados no seu texto que estão de relacionados ao tema e que fogem um pouco do senso comum! Trata-se de uma lista exemplificativa, haja vista que é um assunto muito amplo!

Agora, gostaríamos de saber de você:

COLOCOU ALGUM ARGUMENTO DIFERENTE QUE TAMBÉM SE ADAPTARIA AO TEMA DA REDAÇÃO?

Se sim, compartilha com a gente nos comentários!

Forte abraço,

Professores: Bruno Marques e Luiz Gustavo

4 respostas
  1. Luísa
    Luísa says:

    Não sei se encaixaria no tema, exatamente (inclusive estou morrendo de medo de ter fugido do tema), mas nos aspectos positivos coloquei que a aproximação que a internet proporciona entre pessoas de diferentes países pode contribuir para o desenvolvimento de pesquisas e tecnologias que podem ser úteis, p.ex., para a cura de doenças. Falei também que a publicação de pesquisas na internet pode ajudar a fazê-las conhecidas em todo mundo e até contribuir para universitários em cujos países a pesquisa é ainda incipiente. Disse ainda que há inúmeros tutoriais que contribuem para o dia a dia dos internautas, ensinando a cozinhar e fazer maquiagens, p.ex. Nos aspectos negativos, comentei que a internet é ambiente propício para a proliferação de novos tipos de crimes e golpes virtuais, bem como para ensinar coisas ruins (fabricar bomba caseira, p.ex.).
    Concluí dizendo que, apesar de haver partes ruins nesses novos mundos virtuais, os benefícios os superam, motivo pelo qual não se deve restringir o acesso a tais mundos, mas se deve adotar mecanismos que contribuam tanto para combater os crimes virtuais quanto para evitar que se concretizem condutas do tipo “fabricar bomba caseira” que se ensinam na internet.
    Restringi bastante os benefícios a pesquisas científicas e compartilhamento de conhecimentos úteis, não me lembrei de falar sobre discursos de ódio… Acho que posso perder pontos nesse aspecto (se não zerar a redação)

    Responder
  2. Aline
    Aline says:

    Olá, para acrescentar ao tema, citei a negatividade da internet no campo profissional diante de mascarar o perfil para almejar cargo incompatível com sua competência.

    Responder
    • Latyssa
      Latyssa says:

      Coloquei na redação a questão que pessoas fazem perfil falso no Facebook para ter proveito pessoal, mas não coloquei questão de discurso de ódio.

      Responder
      • Professor Bruno Marques
        Professor Bruno Marques says:

        Também é um argumento interessante e está relacionado ao tema. Não era necessário abordar, necessariamente, o discurso de ódio.

        Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *